Thursday, October 03, 2013

O todo, a parte e a nomeação de Putin...

É uma das questões filosóficas centrais na Teoria do Conhecimento, podemos conhecer o todo apenas pela parte? Ou a parte é apenas uma fracção imprecisa do todo? Os Prémios Nobel, dos últimos anos, parecem inclinados a dizer que a parte é mais importante do que o todo, mesmo que o todo seja diferente da parte que se destaca.

Anda meio planeta espantado com a nomeação de Vladimir Putin para o Prémio Nobel da Paz. O Fidalgo não só não fica espantado como acha que Putin devia ganhar o prémio em causa. A que se deve esta súbita onda de Putinismo agudo? A nada, apenas deixo a lógica das coisas operar. Mas, como sempre nestas coisas do raciocínio, o melhor é irmos por partes.

Vladimir Putin, Presidente da Rússia (e Primeiro-Ministro do mesmo país, nas horas vagas!) foi nomeado para o prémio Nobel da Paz pelo seu contributo para encontrar uma solução não-armada para a guerra civil na Síria. É difícil falar em solução pacífica num conflito que já leva mais de 100.000 mortos e um número ímpar de refugiados que se vão amontoando na Jordânia, no Líbano e na Turquia.

Vladimir Putin usou a sua argúcia diplomática para neutralizar, diria mesmo vaporizar, o belicismo dos Estados Unidos da América e da França, com o Reino Unido (parceiro na guerra do Iraque) a ficar de fora, pois que as garras de Cameron foram retraídas pela tesoura parlamentar! A Rússia, que o Ocidente Euro-Americano continua a ver como o Outro, fez uso das suas "soft skills" e conseguiu serenar um conflito, que não terminou ainda mas esfriou...

A Rússia liderada por Putin agiu, portanto, em prol da Paz. Ora se o Nobel é atribuído a quem actua em nome da Paz, parece-me legítimo querer-se nomear Vladimir Putin para o mesmo. Especialmente quando em 2009 o Nobel da Paz foi atribuído a Barack Obama pelas coisas que "poderia fazer" pela paz internacional. O mesmo Barack Obama com "sede de conflito" na questão Síria, empurrado pelo lobby israelita que vê inimigos em todas as sombras...

Ora se Obama pode ganhar o Nobel pelo que "poderia fazer", porque razão choca o mundo Euro-Americano que Putin ganhe o Nobel pelo que já fez? E não esquece o Fidalgo, que até é especialista em Assuntos do Cáucaso, toda a violência e repressão brutal exercida sobre os povos do Cáucaso Norte e também do Cáucaso Sul; não esquece a Guerra Russo-Georgiana de 2008; não esquece a II Guerra Russo-Chechena...

Mas se fossemos analisar o todo então nem Obama teria ganho o Nobel da Paz (tentou com a campanha Kony 2012 mobilizar a opinião pública para uma intervenção no Uganda; depois afilou os dentes à Coreia do Norte e de seguida ameaçou invadir a Síria), nem os Prémios Nobel da Paz fariam sentido, visto que têm o nome do mesmo homem conhecido como "O Mercador da Morte". Se é a parte que vigora nas análises da Academia Sueca pois então venha de lá a nomeação e, quiçá, o prémio para Vladimir Putin!


No comments: