Thursday, April 04, 2013

De como Relvas sai e fica a confusão no Jardim...

Miguel Relvas pediu demissão do Governo. E, na conferência de Imprensa que deu, fez questão de frisar que não foi demitido e que sai por questão anímicas... Ou seja, não saiu por causa dos inúmeros escândalos, mas porque (coitadinho!) ficou sem energias. Talvez beber um Isostar resolvesse o problema? Ou comer uma barra energética?

A saída de Miguel Relvas deixa contudo muitas pontas soltas e levanta mais perguntas do que responde. Primeira interrogação: porque demorou o Ministro da Educação, Nuno Crato, dois meses a agir sobre um relatório que (ao que parece) contará matéria de natureza criminal. O que esperava Nuno Crato? Que as letras mudassem o seu sentido? Estranho...

Segunda inquietação: porque demorou semanas a pedir a sua demissão se, como diz Miguel Relvas, estamos a falar de falta de energia... Então ele já sabia que iria ficar sem energia semanas antes? Terá ido a uma vidente? Ou usou a Força? O timing é óbvio, mas o auto-elogioso e demissionário Ministro não consegue ver que todos vemos o que ele vê...

Terceira dúvida: e agora Cavaco Silva? Tanta confiança neste Executivo, que agora tem um Ministro que entra Licenciado e sai Secundarizado... Tanta confiança num Executivo que continua a fazer jogadas de bastidores, nos tais bastidores onde (dizem!) Cavaco se movimenta. Então é daí que todos se conhecem? Dos bastidores? Mas a Democracia não devia ser o jogo às claras? Ou está o Fidalgo errado?

Quarta questão: qual o poder real de Paulo Portas? O CDS-PP não reclama para si o capital político que tem, porque lhe dá jeito poder brincar ao limbo... Ora assume a sua natureza Executiva, ora ensaia uma oposição bacoca... O CDS-PP, que tem em Paulo Portas a força centrífuga, consegue fazer "cair" Relvas (número 3 do governo): Isso que dizer que Paulo Portas é o número 2? Ou sobe apenas uma posição?

Quinta questão: e agora Pedro Passos Coelho? A remodelação, que devia ter sido feita em Dezembro ou meados de Janeiro, vai continuar a ser protelada? Ou agora passamos do 8 ao 80 e mudamos tudo? E se mudamos tudo como se pode dizer que o caminho é correcto, se todos os Ministros vão mostrando falta de força anímica? Expliquem-me lá...

Miguel Relvas saiu ao seu estilo. Com pompa de Diva em fim de carreira; cheia de orgulho em todos os seus hits e a ver inimigos (reais e irreais!) que justificam os fracassos. Relvas não é demitido, porque ninguém tinha coragem (ou poder?) para o demitir. Relvas sai do governo em tom elogioso... Achando que tudo o que fez foi dourado... E não assumindo, como a História lhe irá mostrar, que errou e muito! Relvas saiu, mas a confusão no jardim lusitano continua...

No comments: